Essência Raiz

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Picão: Um Aliado na Saúde Infantil – Como Usar com Segurança

Resumo: Neste artigo, vamos explorar a planta Bidens pilosa L., conhecida popularmente como Picão. Descubra informações detalhadas sobre essa planta da família Asteraceae, seus diversos nomes populares, descrição botânica, composição fitoquímica rica e suas amplas aplicações na saúde. Aprenda como o Picão pode ser usado para tratar icterícia e outros benefícios.

O Picão, também chamado de amor-seco, carrapicho, e uma variedade de outros nomes regionais, é uma planta herbácea ereta, anual e ramificada. Ela emite um odor característico e atinge alturas de 50 a 130 cm. Nativa da América tropical, essa planta se destaca por suas folhas compostas pinadas e flores pequenas agrupadas em capítulos terminais. Seus frutos são aquênios alongados de cor preta com ganchos aderentes em uma extremidade. A multiplicação ocorre principalmente por sementes.

Composição Fitofarmacêutica

O Picão, Bidens pilosa L., revela-se uma extraordinária fonte de compostos fitoquímicos. Mais de 200 compostos foram identificados, incluindo flavonoides, terpenoides, fenilpropanóides e muitos outros. Dentre os marcadores, o ácido gálico merece destaque.

Aplicações Amplas na Saúde

Estudos farmacológicos in vitro têm explorado diversas atividades dessa planta, incluindo antimicrobiana, antimalárica, antioxidante, antiinflamatória, antiviral e muito mais. Além disso, o Picão é conhecido por seu uso no tratamento da icterícia, uma condição que causa coloração amarelada na pele e mucosas devido à acumulação de bilirrubina no organismo.

Parte Utilizada e Modo de Uso

As folhas do Picão são a parte utilizada e administrada por via oral, principalmente em uso infantil. A posologia sugerida envolve a preparação de infusões com 2g (1 colher de sobremesa) em 150 mL (xícara de chá). Recomenda-se o consumo de 1 xícara de chá 4 vezes ao dia.

Cuidados e Precauções

O Picão não deve ser utilizado durante a gravidez, e qualquer reação alérgica deve ser imediatamente interrompida. Pacientes com hipersensibilidade às plantas da família Asteraceae devem evitar o uso do Picão.

Efeitos Adversos

Embora não haja relatos de intoxicações por superdosagem de Picão, é importante mencionar que o uso excessivo de plantas ricas em fenóis totais, como o Picão, pode causar irritação da mucosa gástrica e intestinal, levando a vômitos, cólicas intestinais e diarreia.

REFERÊNCIAS:
BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução da Diretoria Colegiada n. 10, de 9 de março de 2010. Dispõe sobre a notificação de drogas vegetais junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Diário Oficial [da] União da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 10 mar. 2010d. Não paginado.
GUPTA, MP et al. 270 plantas medicinais iberoamericanas. CYTED. Colômbia. 1995.
SIMÕES, CMO. et. al. Plantas da medicina popular no Rio Grande do Sul. 5ª ed. Editora da Universidade UFRGS. 1998.

Eduardo Maia

CEO EDUARDO MAIA

Farmacêutico & Fitoterapeuta Clínico
Consultor Técnico Regulatório
Professor Digital

Você pode gostar de...

livro e ebook chás medicinais

Chás Medicinais:
Utilização Segura e Eficaz
Disponível em ebook e na versão impressa.

Chás
Medicinais

Adquira agora em nossa loja virtual.

curso capsfito

Curso Online 100% GRÁTIS 
Disponível para todos com interesse em aprender mais sobre plantas medicinais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *